domingo, março 08, 2015

AS PALAVRAS QUE SOBRAM DESTE DIA...


No Dia Internacional da Mulher,
Para todas as Mulheres que têm a gentileza de frequentar este blog.
.................................................

Gostava de poder celebrar-te num poema
Não sei se de Natália ou de Sofia
Porém luminoso
E feminino...

Negam-se porém meus dedos
E a natureza revolve-se e grita
A minha condição máscula e seca...

Sacudo por isso apenas a crina
Das palavras que sobram deste dia
E as deponho em teu regaço
Calcinadas e frias.

E no teu seio de afectos orvalhadas
Reconhecerás Mulher a coisa pouca
Como sede em fio de água...

Manuel Veiga


21 comentários:

jorge esteves disse...

Não tiro a ara a Natália ou a Sofia. Mas deixa-me lembrar aqui Outra (Florbela), nos versos finais da sua Exaltação:
'Trago na boca o coração dos cravos!
Boémios, vagabundos, e poetas:
Como eu sou vossa Irmã, ó meus Irmãos!...'


abraço.
jorge

heretico disse...

bem lembrado, Jorge!

forte abraço.

Lídia Borges disse...


Mas há a consciência... que não se limita ao "mea-culpa" e a natureza, e tal e tal... Há o reconhecimento que, de tão justo e lúcido, talvez até Natália o pudesse aceitar. Sophia? sim! - "Um fio de água" pode bem vir a transformar-se num rio, - pensaria ela. E penso eu.

Obrigada, pois!

Gisa disse...

Recebo, em meu regaço, tuas palavras.
Acalanto-as no embalo de meu corpo.
Agradeço-te.
Um grande bj querido amigo

Rogerio G. V. Pereira disse...

(Bonito, tudo isto!)

jrd disse...

Na tua condição máscula e seca, toda a ternura de um grande poeta.
Abraço meu irmão

Ana Tapadas disse...

Obrigada, pela beleza.

Beijo meu

luisa disse...

Mas sobram palavras. Palavras que encantam. :)

Majo disse...

*
~ Comovente!

~ Não me parecem nem frias, nem calcinadas as palavras que depositas no nosso regaço.

~ Parece-me um dia excelente para celebrar no seio da família e amigos o reconhecimento da dedicação e abnegação, independentemente das grandes causas pelas quais todos tomamos o mesmo partido.

~ ~ Beijo, grato pelo carinho, à tua maneira. ~ ~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Graça Sampaio disse...

Sempre sensível e com a palavra justa e certa. Muito belo. Um galanteador...

Beijinhos gratos

ॐ Shirley ॐ disse...

Foi bom sacudir a crina, acordando as palavras que chegaram obedientes e lindas...
Agradeço a homenagem feita às mulheres que tem a honra de visitar o seu blog.
Manuel, beijos!

© Piedade Araújo Sol disse...

gosto disto!

e recebo as palavras com que nos brindas.

obrigada!

beijo

:)

Anónimo disse...

No fio da minha água, o meu beijo.
Muito Obrigada.

DIOGO_MAR disse...

Mulher, mestra e diva de todos os tempos, garante do amanhã.
Tu não tens dias, porque todos os dias são teus!

Suzete Brainer disse...

"Como sede em fio de água..."

Belíssimo!
Uma construção imagética
encantadora, que me diz tanto...
A força da mulher é intensa,
continua e delicada na
sede (vontade) neste rio-vida...

Muito grata,Poeta!
Bjo.

O Puma disse...

Belas como sempre as tuas palavras

neste dia que algumas mulheres
sem perderem a memória histórica
se sentem discriminadas com tanta homenagem de passsagem

Abraço sempre

lis disse...

Cecilia Meirelles disse bem_
-"Ai, palavras, ai palavras,
que estranha potência, a vossa!
Ai, palavras, ai palavras,
sois o vento, ides no vento..."
Nesse mundo virtual as palavras são muito benvindas.
Obrigada por presentear-nos,sempre independente da data.
Abraço


Agostinho disse...

Um fio de água cura.

G- Souto disse...

.. pois esse teu soltar de crina, trouxe palavras que sobraram nesse dia. E no regaço poisaste afectos (à tua maneira de poetar, eu sei) 'não' tão frios...

bejo pelo poema - agradeço - e pela presença constante, carinhosa.

Baila sem peso disse...

Poema que não sei comentar...
Fica um sorriso, uma gota de carinho
Nessa crina que te deram de “homem-menino”
E transformo esse dizer num doce hino
Coisa pouca, que muito tem para dar
E o colo da Mulher vem orvalhar!

Obrigada
Beijos

Jorge P. Guedes disse...

Uma bela e singela homenagem!

Abraço.