sábado, junho 13, 2015

À MEMÓRIA DE UM RESISTENTE...


 Estamos aqui no centro:
Que as margens são mera circunstância...

E tu não foste apenas desfiladeiro
Ou passagem secreta das cavalgadas da História:
No olhar da águia o abismo é alimento e a vertigem voo...

Gesto de cristal puro onde mora o brilho solar dos dias
Que os homens inscrevem talvez sem o saberem
Como meta no quotidiano de cinza...

Dizem-te derrotado no licor dos elogios
- Como se tu foras História apenas! -
Mal sabendo que a tua força não tem destino à vista...

Lá onde o coração bate e o fogo se atiça
Como forja do tempo onde a palavra se faz arma
(E a lágrima poema) aí onde ombro com ombro
O suor das sementeiras e os cânticos se misturam
Se desenha teu rosto na pedra esculpido...

E outros homens e mulheres para além de ti
Gigantes de teu exemplo
Darão vida à tua luta...

Manuel Veiga – in Poemas Cativos


8 comentários:

G- Souto disse...

...suponho que homenageias a pessoa que guiou teus 'ideais', no aniversário da sua morte. Belo poema.

Beijo

O Puma disse...

Belos todos os teus poemas cativos

Abraço sempre

AC disse...

Há memórias que continuam a cavalgar o presente, desenhando o futuro...

Um abraço

CÉU disse...

Pois, era isso k eu pensava, mas fui "documentar-me", logicamente (desculpe, estava aqui a falar com os meus botões)!

Olá, como está?

Um excelente poema, clássico e contemporâneo. Faz hoje 10 anos k morreu Álvaro Cunhal. Aqui, a sua homenagem, muito discreta e merecida, diga-se, em abono da verdade, embora o mundo vá avançando. Apesar disso, há ainda alguns "exemplares", k vão continuando, minoritariamente, em minha opinião, a obra.

Boa semana.

CÉU disse...

Retificando: fez, ONTEM, 10 anos k faleceu Álvaro Cunhal, e não hoje, dia 14, como afirmei, por lapso.
Fique bem!

Carmem Grinheiro disse...

"...onde ombro com ombro
o suor das sementeiras e os cânticos se misturam..." - belíssimo.
Pungente poema/homenagem.

abç amg

Graça Pires disse...

Um poema muito belo, meu amigo. Há pessoas que constroem um horizonte para podermos ver mais longe e seguirmos a coragem que tiveram em cada dia...
Uma homenagem muito a propósito.
Um beijo.

Suzete Brainer disse...

Um belo poema inscrito de história e emoção que não
homenageia somente o homem, mas o seu caminho
construído em luta a ser seguido...

Sempre uma viagem preciosa percorrer pela tua poesia!!
Beijo.