sexta-feira, agosto 07, 2015

TRAÇO QUE ESBOÇA O GESTO..


Traço que esboça o gesto
Crisálida ainda
Voo no branco
Ténue sopro nos dedos
Como forma                                                                             
E se liberta indecisa
No movimento
De nada...

Indeciso também o verbo
Em seu percurso de cor
E vontade de ser
Riscos apenas
De um “Eu” que teima
E quer...

(Cuidados meus!)

Frágeis que somos
Nesta aurora
António!...


Manuel Veiga
Breves dias ausente de vosso convívio!
Beijos e abraços!

13 comentários:

Suzete Brainer disse...

Traço que esboça o gesto,
o gesto mais sublime do afeto,
o amor que acompanha e se deixa
ser acompanhado no silêncio da compreensão...
Um poema tão sublime e tocante (emoção pura)...
Fiquei encantada, Poeta amigo!
beijo.

Ps:Que os dias ausentes sejam felizes,
mas volta...rsrs

Janita disse...

Poema encantador! Mais belo, ainda, porque quem o inspirou requer atenção e cuidados seus.
Traço que esboça o gesto até ganhar firmeza na construção do próprio caminho.

Que esses dias de ausência sejam preenchidos por raios de sol e carinho.
Até breve!

Um beijinho.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Auroras, as haverá mais
e em alguma começaremos
a ser mais fortes
que os legos que juntos fazemos

(cuidados nossos!)

Teresa Durães disse...

que se solte o "Eu"!

Ana Tapadas disse...

Eu quero ter a tua esperança!
Boas férias
(Lindo menino - neto:)

Beijo

George Sand disse...

Somos frágeis, mas somos pássaros...
Poema de brisa, este.
Gostei muito

Agostinho disse...

Magnífica brisa daqui soprou.
Para um herético, diga-se: que espanto de crença!

Julgo eu ter andado por aqui
mas voltei para ver a esperança
nos teus olhos hoje a crescer
Ver a luz com que se fará o amanhã
em ti poema precursor da mudança
até que a pedra seja a pedra
e homem sejam todos de verdade
Os teus olhos António
Serão a minha certeza da imortalidade


Abraço




Genny Xavier disse...

Poeta,

Os mais belos poemas nascem da matéria simples e leve dos afetos... Ah! e tantos cuidados nos impelem...

Beijo.
Genny

© Piedade Araújo Sol disse...

um dia o António irá ler e ficar orgulhoso do Poeta!

boas férias Manel

beijinho amigo

:)

CÉU disse...

Quando um afeto nos espera, não há traço, não há poema que resista e persista.

Boa ausência, com amor!

Graça Pires disse...

Tenho a certeza que o António gostou do poema...
Um beijo e boas férias.

G- Souto disse...

Sensível/terno nos afectos que vibram nas palavras, discretas. Gestos de abraços.

Beijo,

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Herético
E chegará o dia, bem mais depressa do que se possa imaginar, em que a crisálida renunciará à indecisão, abrirá asas tão grandes e belas quanto audaciosas e, soltará amarras a aventurar-se em voos nunca antes percorridos, desbravando céus e terras, alcançará vistas por si desconhecidas, sempre em busca da vida, para lá do horizonte.
Mas, ficará a certeza de que, onde quer que vá, levará um pouco de si com ele. E assim, perpetuará sua vida.

um abç amg