terça-feira, fevereiro 20, 2018

ANTI - LETRADO





"Troco letras por poemas”
Proclamo.
“Estás em saldo?”
Replica o letrado.

"Não! Tenho lugar cativo
No jardim dos poetas
Sem sílabas…"


Manuel Veiga

Foto: Siza Vieira - Pavilhão de Portugal
Parque das Nações - Lisboa 


12 comentários:

José Carlos Sant Anna disse...

Louve-se a associação que leva à coerência interna do poema e tenhamos os este retrato do anti-letrado, furtando-se o poeta a qualquer norma. Delicioso o poema!
Forte braço, meu caro amigo!

Gil António disse...

Bom dia. Palavras para quê? Maravilhoso.
.
* Água que purifica teu corpo ... em efemérides de sentido *
.
Deixo abraço de amizade

Emília Pinto disse...

Não é preciso ser-se letrado para se fazer um poema, basta sentir-se a beleza de uma flor, enxergar a maravilha das ondas do mar, saber apreciar cada pequeno pormenor deste nosso planeta e colocar amor em cada pequeno gesto que fazemos e que recebemos; tudo isto é poesia e, mesmos não sendo capazes de passar para o papel estas sensações, faremos mentalmente belos poemas. Como sempre, lindas palavras sabiamente alinhadas em verso, Manuel. Um beijinho e tudo de bom,
Emilia

Tais Luso disse...

Esse poema dá algumas boas interpretações!
Um dia chegaram uns camaradas num artista e perguntaram a ele:
- Qual é a técnica que você usa?
- Ah, sei lá, pô! Técnica é para usar e botar fora, o que interessa é a ideia!

Não deixa de ser interessante, não? Palavras levam ideias, e essas sim!
Poema pequenino também dá coisa boa! Dá o recado, não tem o perigo de se perder pelo caminho.
Beijo, meu amigo!

Graça Sampaio disse...

Belo jogo de palavras - com letras? sem sílabas? Proclamado! Replicado!

Beijinho.

Olinda Melo disse...

Aqui o letrado é que perdeu o comboio. Com letras chega-se lá. Haja talento.

Abraço

Olinda

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Bela troca.
Adorei a postagem!
Bjins e/ou Abraço.
CatiahoAlc.

Teresa Almeida disse...

A poesia sente-se vivamente. Nem precisa de letra.

Beijinho, Manuel.

Suzete Brainer disse...

Manuel, meu amigo,

No jardim dos poetas, o oxigênio é outro,
os poetas têm o silêncio antes das
palavras (sílabas...) e um caminhar na
contramão da mediocridade das vitrines.

Adorei!!!
Bjos.

Ana Freire disse...

Mais uma vez... aqui fica a prova... de que um bom poema... jamais se mede pelo número de letras... mas pelo sentir, daquilo que ele passa, aos seus leitores...
Mais um trabalho de excepcional qualidade... que tanto transmite... em poucas letras...
Beijinho
Ana

María Perlada disse...

Muy bella la imagen.

Un beso.

baili disse...

Poetry is SENSE of aestheticism which you displayed so marvelously my friend!