sexta-feira, março 16, 2018

ANTI DRAMA...



Desce o pano sobre a cena
Decomposição da fala em alvoroço
E a persistência do eco.

Ruído de alma em fingimento
Sobre palco deserto.

E o grito-mudo…

Comédia da vida.
Em traço grosso.


Manuel Veiga



3 comentários:

Gil António disse...

Simplesmente maravilhoso numa questão de ternura poética.
.
* Nosso Amor ... a alvura do Universo *
.
Deixo cumprimentos.

Teresa Almeida disse...

Desceu o pano, mas o eco permanece. Como se a voz não tivesse sido em vão.

Várias leituras nos sugeres, Manuel, nesta síntese de emoções.

Beijinho.

Suzete Brainer disse...

Amigo Manuel,

Um excelente poema, num tom da ironia e
xeque-mate aos dramas da vida "em traço grosso".
A vida em palco, vozes dispersas e algumas de
"alma em fingimento".
Sempre valoroso Ser em todos os palcos, sem
máscaras e o "grito-mudo" poderá ser
um sorrir á vida!...

Fiz as minhas leituras e comentários aqui
que tinham faltado, tenho pouquíssimo
tempo disponível, mas o Poeta amigo
sabe o quanto aprecio a leitura aqui
da sua arte poética admirável.
Beijo.