quarta-feira, julho 09, 2008

W.A. Mozart - Requiem (KV 626) - Dies irae

dies irae...

18 comentários:

Maria disse...

Para te deixar um beijo, a correr (e a esta hora...)
... e pra te dizer que vou voltar para ler o que me falta....

Ant disse...

às vezes penso que o que nos resta é mesmo isto: um requiem...

Véu de Maya disse...

Ouvi mais uma vez...sempre sublime e arrebatador... obrigado.

abraços

um Ar de disse...

Bem, um Requiem deste gabarito, não é para todos...
.
Acho que nem isso me resta, sendo assim!...
:)
[Beijo de, também não tenho pressa de lá chegar...]

mdsol disse...

Pois!
:)

Maria Laura disse...

Valha-nos a música, mesmo sendo um requiem...

M. disse...

Ai

ainda bem que me lembraste :)

andava eu por aí... com o som no máximo.

(e fazes-me rir imenso.)

M. disse...

é verdade.. me aguarde, me aguarde

mariam disse...

obrigada! é excelente ouvir...


um sorriso :)

jrd disse...

(...)
Que deixam ver a vida que não temos
E as angústias paradas!
"Miguel Torga"

Sophiamar disse...

Mozart, ainda que seja um Requiem, é sempre divino.

Bem hajas!

Beijinhos

Carla disse...

Ouvi..encantei-me!
bom fim de semana
beijos

Patanisca disse...

Que arrepiadita fiquei!

Mariz disse...

Salvé!

Também o tenho no meu blog...quase no fim...acho um tema para retemperar a alma e relaxar na vivência.
Espero contudo que não tivesse servido para participar á blogosfera alguma "partida"...quer para outro plano...quer de si....
em ambos os casos ecaso se verifique, apenas me apraz dizer que a transformação é boa e RECOMENDA-SE! - porque já os vivi...a ambos!- é por isso que não saio do meu registo agora...e se acaso o faço é na tentativa de reponsabilizar as pessoas e da coerência que as deve mover, perante si mesmas!


Mariz

ESPAVO!

heretico disse...

Mariz,
não percebi nada do que (me)disse com seu comentário.

mas o defeito deve ser meu, porquanto me parece uma pessoa inteligente...

Justine disse...

Os dias da ira merecem uma música assim!

Mariz disse...

Salvé Herético!
Obrigada pelo elogio e devolvo o cumprimento com o maior prazer. Vou tentar ser mais explícita então - até porque "preto no branco" é consigo mesmo e comigo idem.
Pensei que este post tivesse a ver com alguma "partida" - morte - de alguém e por tal facto a sua homenagem aqui.
Numa outra vertente, poderia ter acontecido algo - tipo boom - de fora para dentro e o fizesse abanar e rever-se por qualquer motivo. E é obvio se tal acontecesse, a sua vida não mais seria a mesma...qual fenix que renasce das cinzas - evidenciada no meu blog. No meu discurso final faço reparo ao que vivenciei...porque ambas as situações já foram vividas - até porque não conseguiria dedicar-me nesse aspecto, qualquer homenagem.
Tem aqui as explicações. Penso ter sido mais clara desta vez.
Sempre ao dispôr...
MAriz

ESPAVO!

Vieira Calado disse...

Bem podiam desde já começar a ensaiar para a morte do neoliberalismo do P.S.
Falta saber quem deveria ser o maestro...
Um abraço e bom fim de semana.