domingo, maio 05, 2013

NOTÍCIAS DE BABILÓNIA 22



Em Babilónia reina a amargura e o descrédito...

Um amanuense enfeita-se de mago, mas não acerta uma... No entanto, cumpre, com afinco, o guião a que obedece – e os interesses que serve...

Na praça, a barafunda aumenta. E o barco afunda-se... Mais e mais...

Os babilónios clamam e reclamam. E gritam... Outros sublimam a fome, fazendo chacota...

...................................................

Hammurabi, o moderador – que nunca se engana e raramente tem dúvidas - proclama que “à noite se segue o dia...” 

Ninguém acredita!

 

 

 

9 comentários:

jrd disse...

Quem duvida que Hammurabi é, ele próprio, um charlatão sem dúvidas?

Abraço

quem és, que fazes aqui? disse...


O que, Hamurabi não sabe é que “à noite se segue o dia...” da revolta.

Beijo

Laura

São disse...

Tal insustentável situação vai dar uma volta , porque quem já não tem nada a perder perde o medo a tudo!!

Bons sonhos

Lídia Borges disse...


Não sei qual o motivo, mas a "desgraça", aqui, parece menos penosa.

A fórmula hipercodificada "Era uma vez, num país distante..." dos contos infantis que coloca as crianças, desde logo, a salvo dos monstros e das maldades que eles vão praticando,(porque estão longe) parece encontrar eco aqui, ainda que o público seja adulto. ;)

De referir que estes contos tinham a função de ajudar as crianças a lidar com frustrações, angústias e medos e a superá-los progressivamente.
Poderão ainda os babilónios reagir e libertar-se do Hammurabi e seus comparsas antes da queda do reino?

Lídia


O Puma disse...

Uns saem pela porta

mas já não seria o primeiro
a sair pela janela

João de Castro Nunes disse...


Em tudo que não agrada
nos comentários que faço
logo o dono deste espaço
vibra a sua tesourada!

JCN

Ana Tapadas disse...

No Reino da Babilónia onde eu já cantei e dancei...
Ah os códigos, os códigos, meu amigo! Velhas cartilhas para remar à vista com o abismo no horizonte...

bjs

Luis lourenço disse...

ah, meu caro!

Que valentões tão {in}competentes que insistem no erro. Dizem que por estratégia política, mas o barco vai-se afundando...Será que sabem o que é a política na sua raiz? Estas tuas crónicas são uma obra prima de humor e de fina ironia.

Forte abraço,

Véu de Maya

M. disse...

Criativo este modo de falar do que se vai passando.