quinta-feira, maio 09, 2013

QUE A PALAVRA SEJA SOBRESSALTO...


Que a palavra seja insígnia ou marmoto
E sobressalto...

Que a cidade seja solar e ígnea
E os muros se derramem no grito das gaivotas
E o Tejo uma falua engalanada...

E o corpo das mulheres seja o maduro trigo
De todas as fomes...

E as mãos sejam o destino dos homens
No suor do barro...

E o coração expluda...
E todos os caminhos se soltem...

E que a memória dos dias claros se desfolhe
Em cada gesto...

E a ansiedade dos tempos seja esporão
De claridade...

E a Palavra seja flama e sarça.
E que se inscreva liberta no rosto dos escravos...


8 comentários:

Mar Arável disse...

Nos meus barcos
ao invés de gáveas
movo-me pela bandeira

no outro lado do cais

Abraço sempre

jrd disse...

E que a torrente invada a cidade e as gaivotas que trazemos no peito nos devolvam o canto do mar e da esperança.
Abraço, Poeta e Irmão

Maria João Brito de Sousa disse...

Que assim seja, Heretico!

Abraço grande!

João de Castro Nunes disse...

Se isto pretende ser poesia, vou ali à tabacaria da esquina... e volto já! C'um carago, como se diz na minha parvónia! JCN

lino disse...

Amém!
Abraço

lis disse...

... a beira-mar naufragado heretico
assim me encontro rs
'que a palavra seja flama e sarça...'

© Piedade Araújo Sol disse...

forte...

que assim seja !

beijo

:)

Lídia Borges disse...

"E as mãos sejam o destino dos homens"


Inquieto e inquietante dizer!

Lídia