domingo, junho 22, 2014

RITO DE PASSAGEM...


No solstício dos dias ardidos e no mais alto cume
Das montanhas onde os deuses se resguardam
E em seu desenfado jogam aos dados sobre
O destino dos homens...

No inaudível som das esferas em seu itinerário
De fogo e gelo. E nos acorrentados passos que rasgam
Os caminhos. E nas dores do mundo. E nos espinhos.
E nos inquietos dias.

E na passageira glória dos dias faustos e no rosto
De nossos mortos. E no sangue aceso.
E na alegria solidária. E na luta
Ombro com ombro – firmes em nossos gestos
Erguidos em explosão de punhos...

E no dulcíssimo seio das mães. E no regaço onde
Cansados por vezes tombamos. E na ternura das crianças
E no pródigo nome que trazemos. E que honramos -
Fio de água no fervor das cinzas...

Aí nesse mítico lugar onde nos damos. Fecundos.
Inscrevo em teu rosto minha palavra ígnea e em tuas mãos
Deponho a vara do tempo e todas as marcas inscritas
(Passadas, presentes e futuras)
E te declaro guardião
Do sangue
E da gesta
Em que
Ardemos.

Manuel Veiga

(No quadragésimo aniversário de meu filho)

5 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Um belo presente de aniversário!
Parabéns para ele e para toda a família!

Abraço

Sónia M. disse...

Parabéns ao filho, beijo aos dois.
Um poema belíssimo!

© Piedade Araújo Sol disse...

uma prenda muito bela.

parabéns aos dois!

:)

Graça Pires disse...

"Inscrevo em teu rosto minha palavra ígnea e em tuas mãos
Deponho a vara do tempo e todas as marcas inscritas" Um poema muito belo para o teu filho. Parabéns para ele e para ti.
Quanto à tua "festa" já me foi relatada por uma amiga...
Um beijo.

jrd disse...

Nunca é tarde para estender o abraço ao filho do Poeta Amigo e Irmão.
Sempre!