domingo, maio 17, 2015

NOTÍCIAS DE BABILÓNIA LXIV


Babilónia tem uma nova legenda - gravada a fogo na pedra e flamejante em todos os mastros!...

Somos o que escolhemos ser!...” – proclama Hammurabi, o legislador, frente ao espelho, elevando-se ao céu de seu umbigo...

A Praça, entorpecida, rosna apenas. E entretém-se a ver os pombos pousar...

Os babilónios, dobrados, - mas não vencidos - “aguentam, aguentam...”
...................................................................................
E os ossos do glorioso vate, rangendo na tumba: “Ó glória de mandar! Ó vã cobiça. Desta vaidade, a quem chamamos Fama!...”

E exortando os babilónicos a desafiarem os Fados: “ouvi-(me), pois que não vereis com vãs façanhas/fantásticas, fingidas, mentirosas/louvar os vossos...”

10 comentários:

Majo disse...

~~~
~ Hammurabi - o patético - escolheu cedo ser um mandrião e, muito feliz,
provou agora que se orgulha do facto.

~ Muito incentivado - e muito mimado - por seu pai médico, só acabou o
curso aos 37 anos, na privada, já com o engodo de empregos milionários.
~ Até lá, sustentou a família à custa dos proventos de 'jotinha' bem falante.

~~~
O teu irónico texto, com impecável erudição de historiador, está hilariante!

~~~~ Beijo. ~~~~~~~~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Graça Pires disse...

Hammurabi já só enxerga mesmo "o céu do seu umbigo". Os babilónicos olham os pombos e pensam que está na hora de enxotar todos os "Hammurabis" desta terra... Que a coragem não falte.
Um beijo, meu amigo.

MARILENE disse...

Fama e poder, tão ilusórios! Mas enquanto persistem, os que os abraçam não olham para baixo. Abraço.

O Puma disse...

Vais perdoar-me

mas hoje

estou a comemorar

fumando um Lopetegui

heretico disse...



Puma, amigo

e eu a julgar que preferias comer a fruta, lá do norte...

abraço

Graça Sampaio disse...

«Volta Buíça, está aperdoado!!!»

Suzete Brainer disse...

A vaidade é uma cegueira que
aproxima do abismo do ridículo...
É muito bom a ironia para se
desraizar do excesso de
importância.

Apreciei muito o texto!
Beijo.

AC disse...

Babilónia está a tornar-se, infelizmente, um autêntico study case no que respeita à submissão.

Abraço

ॐ Shirley ॐ disse...

Ainda bem que os babilônios aguentam e não se dão por vencidos, tomara...
Beijo, Manuel!

Helena disse...

Ah, essa tua "Babilónia" tão cheia de contrastes... Tantas assim a existir por aí... por aqui!
Majestosamente belo, se assim posso me expressar ante a grandeza do poema "APENAS UM TIMBRE ROUCO..."
Nas estrelas, um sorriso,
Helena