sábado, abril 02, 2016

No Magnetismo da "Lucina" ...

No magnetismo da Lua cabem
Todas as marés e enlouquecem os amantes
Desprevenidos. E os poetas que ousam
O sortilégio da Palavra
E se imolam cativos
De um olhar peregrino
A desenhar
O movimento
De astros sem
Destino...

Manuel Veiga



6 comentários:

Pata Negra disse...

Homens da física e da astronáutica nada nos disseram da nudez e dos orgasmos de Lua,
escrava da Terra, e do Mar ama, que se fez da noite para os seus abraços, da mente para os seus porquês.
A rotação do planeta faz-nos tontos e translúcidos. Dormimos o Sol e a Lua a na canção do Relógio de Pêndulo.

Um abraço com Lucina (nome poético da Lua)

Suzete Brainer disse...

No magnetismo da Lua, a Poesia se inscreve, com os
seus raios luminosos de sentires, a raptar o poeta
na incumbência de plasmar nas palavras,a magia,
a hipnotizar com a beleza no movimento dos olhos!...

Uma música de bom gosto (adoro), a perfeita
para acompanhar a magia encantadora do Poema.

Belíssimo!!

heretico disse...

Pata Negra,

ora aí tens a "Lucina" a brilhar...
indesculpável da minha parte.

abraço. grato

© Piedade Araújo Sol disse...

e a Lua inspirou muito bem o Poeta, que fez um poema grande com poucas palavras

gostei muito!

bom domingo

beijinho

:)

José Carlos Sant Anna disse...

Traz essa postagem a graça do jazz, além de um poema que se desfolha com a leitura, alheando-nos de tudo.
Um poema que toca...
Pode fazer do meu espaço o teu caminho, venha sempre.

Abr.,

Fê blue bird disse...

Ao som desta música quem resiste ao magnetismo da lua.

Excelente como sempre!

Um beijinho