sábado, abril 02, 2016

No Magnetismo da "Lucina" ...

No magnetismo da Lua cabem
Todas as marés e enlouquecem os amantes
Desprevenidos. E os poetas que ousam
O sortilégio da Palavra
E se imolam cativos
De um olhar peregrino
A desenhar
O movimento
De astros sem
Destino...

Manuel Veiga



6 comentários:

Pata Negra disse...

Homens da física e da astronáutica nada nos disseram da nudez e dos orgasmos de Lua,
escrava da Terra, e do Mar ama, que se fez da noite para os seus abraços, da mente para os seus porquês.
A rotação do planeta faz-nos tontos e translúcidos. Dormimos o Sol e a Lua a na canção do Relógio de Pêndulo.

Um abraço com Lucina (nome poético da Lua)

Suzete Brainer disse...

No magnetismo da Lua, a Poesia se inscreve, com os
seus raios luminosos de sentires, a raptar o poeta
na incumbência de plasmar nas palavras,a magia,
a hipnotizar com a beleza no movimento dos olhos!...

Uma música de bom gosto (adoro), a perfeita
para acompanhar a magia encantadora do Poema.

Belíssimo!!

Manuel Veiga disse...

Pata Negra,

ora aí tens a "Lucina" a brilhar...
indesculpável da minha parte.

abraço. grato

© Piedade Araújo Sol (Pity) disse...

e a Lua inspirou muito bem o Poeta, que fez um poema grande com poucas palavras

gostei muito!

bom domingo

beijinho

:)

José Carlos Sant Anna disse...

Traz essa postagem a graça do jazz, além de um poema que se desfolha com a leitura, alheando-nos de tudo.
Um poema que toca...
Pode fazer do meu espaço o teu caminho, venha sempre.

Abr.,

Fê blue bird disse...

Ao som desta música quem resiste ao magnetismo da lua.

Excelente como sempre!

Um beijinho

COMO SE FORAS INVENÇÃO MINHA

As palavras, meu amor São apenas insónia Um rumor mudo E a flor selvagem Com que enfeito Teus cabelos   Para além delas E da...