quarta-feira, abril 13, 2016

"PAISAGENS EM ALVOROÇO" ou Cálido Gesto da Amizade ?...



"Paisagens em alvoroço"

Vou tentar escrever duas palavras ininteligíveis para ver se me faço entender, aqui da minha escarpa.
A poesia não se comenta (?) a menos que sejam os poetas a dizer por gestos o que escreveram. 
A poesia do meu amigo Manuel desafia, desbrava palavras, são gestos em carne viva. 
O poeta na sua solidão partilhada de luminosidades, sombras e silêncios, adquire no seu refúgio a transfiguração da vida. 
Artífice exímio, recusa escancarar os poemas à devassa de uma leitura linear. 
Recordo que é através das palavras que se expressa (também) a poesia. 
No universo específico onde se move o poeta, com ou sem roupagem metafórica, cabe ao leitor acolher a mensagem e decifrá-la.
Esta poesia não é para ser cantada mas deve ser lida em voz alta, na esperança de sermos livres, eternos, por um instante, nas "paisagens em alvoroço". 
Este "do esplendor das coisas possíveis" segue um registo de forma e conteúdo que identifica o Poeta e o Homem. 
Se me lessem um poema seu sem identificar o autor, eu diria sem pestanejar - é do Manuel Veiga. 

Abraço fraterno. 
....................................................................................................


Cálido gesto de amizade de meu amigo Eufrázio Filipe em MarArável

Fraterno Abraço. Grato

5 comentários:

José Carlos Sant Anna disse...

A suprema alegria do olhar que enaltece.
Também assinaria este comentário.

Forte abraço,

Fê blue bird disse...

Tivesse eu o dom da palavra e da sabedoria também escreveria isto.

Um beijinho a ambos

Rogerio G. V. Pereira disse...

Repito aqui, o lhe escrevi lá
"Eu também!"

luisa disse...

De poeta para poeta. O esplendor das palavras.

Suzete Brainer disse...

Belo gesto teu, Poeta,
a gratidão é um sentimento nobre.

A amizade quando sincera é sempre fraterna,
privilégio teu um Amigo Fraterno assim!...

Abraço de admiração.