sexta-feira, junho 03, 2016

LONGA ESPERA...




Regresso
E encontro a mesa posta
E teu sorriso
E o leito aberto
E as cambraias 
E o linho...

E o perfume de teus cabelos
A ungir os pés doridos...

Venho mais pobre -
Que um homem perde-se
Nos caminhos que trilha...

A guiá-lo apenas o céu aberto
E o tesouro de teus olhos
A incendiar a noite
E os corpos

E a longa espera
Num bailado de quimeras...

Manuel Veiga








15 comentários:

Jaime Portela disse...

Há regressos que valem a pena...
Excelente poema, meu amigo, gostei imenso.
Caro Veiga, tem um bom fim de semana.
Abraço.

Odete Ferreira disse...

Estes regressos assim versejados, são como música de harpa.
Por isso, saio mais rica...
Bjo, Manuel :)

Majo Dutra disse...

~~~
Tão amoroso e belo, Manuel...

Como é bom ter um porto seguro!

Gostei de mais de apreciar-te

neste registo diferente.

~~~ Beijo. ~~~

Mar Arável disse...

Abençoados os poetas que assim sentados à mesa das palavras
regressam ao seu registo
Abraço amigo

Ana Tapadas disse...

De uma maravilhosa beleza...partilhada.

Beijo

Marta Vinhais disse...

A vida é isto - cheia de regressos, encontros e desencontros... Mas temos a esperança sempre escrita no coração e partilhamos os sonhos, os desejos... E vale a pena....
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Graça Pires disse...

A cumplicidade de um regresso. É quando perdemos o sentido das noites que nos parece mais livre qualquer incêndio.
Muito belo, meu amigo.
Um beijo.

Vieira Calado disse...

É sempre longa, a espera...
Gostei do poema.
Um abraço!

Suzete Brainer disse...

Um poema único de beleza, de um sentir poético
que nos situa num tempo da espera, o amor
espelhado nas janelas dos olhos que o aguarda,
o sorriso como o sim da espera...
A confissão que ao perde-se deste amor,
veio mais empobrecido com a certeza da longa
espera por estes abismos da vida...

O poema nos presentifica a certeza da riqueza
de um amor e tão belo expressado na tua
singularidade de Grande Poeta, Manuel.
Belíssimo e encantador, meu Amigo!!
Bjs.

luisa disse...

E ela é que se manteve na longa espera...

:)

[Gosto imenso de Brel]

graça Alves disse...

Que belíssimo poema!
beijinho

Carmem Grinheiro disse...

Boa noite, caro Herético.
Ele regressa a casa e ela, ao recebê-lo, sente-se regressar à vida.
Belíssima poesia, adornada com todo o requinte pela maravilhosa "chanson" - há quanto tempo não ouvia música francesa. Esta minha visita, para além de desfrutar de sua escrita, serve para lembrar-me que devo ouvir mais música francesa, que é divinal.
um abç amg

Fê blue bird disse...

Valeu esperar por este encontro.

Gostei da imagem :)

Beijinho

José Carlos Sant Anna disse...

Ainda bem que há um poema deste porte para quebrar a aridez do diálogo anterior,
aqui pelo menos "o bailado de quimeras" se faz com o verbo.
Abr.,

© Piedade Araújo Sol disse...


por vezes é preciso partir
para voltar
há regressos que valem sempre a pena!
:)