domingo, julho 09, 2017

EU SEI QUE PASSO...


Parto. E corto pontes
Que minha viagem é sem regresso.
Nem meu canto é gorjeio emplumado

Nem minhas dores são grito de pássaro
Gemebundo.

Passo. Eu sei que passo.
E ao passar agito. E colho tresmalhados ventos
Em meu punho fechado
Qual espera do momento
Certo para quebrar os selos
E soltar venenos.
E tempestades em riste. 

Assim não queiram meus fados
E os ventos fiquem quedos.

Manuel Veiga


Sem comentários: