quinta-feira, fevereiro 15, 2018

ITINERÁRIOS DE LUZ...


Murmúrio de fogo e água em minúscula
Suspensão. Arrepio talvez do tempo.
Ou talvez brusca queda em direcção
Ao indizível.

Reflexos apenas pressentidos
Presos na língua e na decantação dos nomes
Antes dos rostos. Matriz ainda.

Itinerários de luz e magma à superfície
Forma-murmúrio antes do signo
E a decifração da Palavra.

O poema virá depois na fermentação
Dos detritos e no bailado das sombras
A possuir o Excesso e burilar o Tempo

E a abrir-se na caligrafia muda das coisas
Umas nas outras. E no mistério delas.

Manuel Veiga


6 comentários:

Larissa Santos disse...

Bom dia! Excelente poema. Parabéns

Hoje:- A Dança no Paraíso
.
Bjos
Fim de semana feliz.

Olinda Melo disse...

Olá, Manuel Veiga

Vários cambiantes adivinho nos itinerários que desenha neste belo poema. Decifrá-los não é coisa pouca. No âmago das palavras pressentem-se reflexos de tudo o que nos envolve, mas necessário se torna viajar até à matriz e fazer o caminho ao encontro do expoente máximo da criação do Poeta. A Poesia apresenta-se então em todo o seu esplendor.

Abraço

Olinda

manuela barroso disse...

Um itinerário que contorna ora o nevoeiro , ora a luz do Tempo e do templo do poema provocando uma incandescência que nos ofusca
Belíssimo, querido amigo Manuel
Beijinho

Teresa Almeida disse...

É vibrante a forma como este fio de água e luz se faz poema. Este arrepio do tempo. É um ato de criação glorioso em que o poeta se entrega.

Meu amigo Manuel, vou guardar comigo estes itinerários de luz. Este poema é uma obra prima.

Deixo-te um abraço bem arrochado.

Suzete Brainer disse...

Manuel, meu amigo

Apreciei muito o título, uma grandiosidade na
expressão, que somos viajantes de luz e
percursos de luz...

Todos os sentires próximos do encantamento e
soltos no paladar dos desejos.

Porém, a Poesia nasce assim: "na caligrafia
muda das coisas" "e no mistério delas"...
Bravo!!

Um domingo alto astral, caro Poeta.
Beijo.

Ana Freire disse...

Maravilhosa... esta formação de um poema... como um itinerário de luz...
A inspiração está em alta, por aqui, Manuel! Parabéns!
Beijinho
Ana