terça-feira, novembro 10, 2009

Somos o que somos...

Densa a poalha agora
Cortada na liquidez do ar
Pingos de tempo na memória inútil...

E no entanto breve
Solta-se o horizonte
Abraçando as margens...

Quem nesta miragem se perde?
Quem inatingível
Declina o verbo na paisagem?

Quem das veredas os sons
Inaudíveis e a fúria azul
Dos tambores?

Somos o que somos:
Apenas o que nos braços cabe
E o fios que tecemos em cada rosto...


..........................................

Uma breve ausência. Boa semana...
Beijos e abraços!

16 comentários:

Mar Arável disse...

Somos como somos

e cada um

Abraço

Véu de Maya disse...

microscópio poético...

" Somos o que somos:
apenas o que nos braços cabe
E os fios que tecemos em cada rosto...

Gostei muito...volta logo.
abraços.

Nilson Barcelli disse...

"Somos o que somos:
Apenas o que nos braços cabe
E o fios que tecemos em cada rosto..."
Todo o poema é excelente, mas esta parte, para além disso, é de uma capacidade de síntese poética notável.
Abraço.

Miosotis disse...

... quase todos somos unânimes em sentir a última estrofe tal coda deslumbrante do poetar que praticas...

Boa e serena 'ausência'!
Um beijo,

MagyMay disse...

Gosto da "fúria azul dos tambores"... imagino-a como, força guerreira.

Para ti, uma excelente ausência

Um beijo, um tchau-tchau, um sorriso

bettips disse...

O verbo Voar
é bom de declinar.
Declina-o, desdobra-o como asas.
Fica bem, bjs

Graça Pimentel disse...

Porque sou o que sou gostei de ler e reler.

Beijo

Mel de Carvalho disse...

Felizmente que o Herético é quem é: um poeta de mão cheia, que nos oferenda aqui, sempre, excelentes poemas, a exemplo deste de que, sequer destaco um verso.
Excelente.

Fraterno abraço
Mel

M. disse...

Tem graça que encontro neste poema uma ligação com o outro de nome "Cálida Brisa" lá mais abaixo. Outra vez uma certa e belíssima ternura triste.

maria valadas disse...

Somos o que somos... e não o que acham.

Gosto do teu poetisar.

Que a ausência seja breve....

Bom fim de semana.

Beijo.

Correia disse...

LINDO o que consegues transmitir, a tua poesia faz explodir emoções! És grande,és poeta Luz...meu caro amigo.
E...«diz-me, poeta amigo
em que porto brotam os caminhos do pensamento-verdade, da luz, da liberdade»CC.
E...«digo-te, poeta amigo...»
«...Cortada na liquidez do ar...Quem nesta miragem se perde?
...Somos o que somos:...os fios que tecemos em cada rosto»Herético.

para ti abraço-te,sempre.CC

© Piedade Araújo Sol disse...

somos o que somos, e a mais nao somos obrigados.

de vez em quando por aqui sai um poema, e devo dizer que gosto sempre do que leio.

bom fim de semana!

beij

© Piedade Araújo Sol disse...

somos o que somos, e a mais nao somos obrigados.

de vez em quando por aqui sai um poema, e devo dizer que gosto sempre do que leio.

bom fim de semana!

beij

Peter disse...

Um poema que fecha com chave de ouro:

"Somos o que somos:
Apenas o que nos braços cabe
E os fios que tecemos em cada rosto..."

Talvez: "os fios que tecemos em cada rosto..."

Vieira Calado disse...

Até à volta, meu caro!

Afranio do Amaral disse...

Sou Afranio do Amaral, e morro e renasço para seguir fugindo de mim.
Cumprimentos.