terça-feira, fevereiro 17, 2015

ÍTACA - KONSTANTINOS KAVÁFIS



Ítaca

Quando abalares, de ida para Ítaca,
Faz votos por que seja longa a viagem,
Cheia de aventuras, cheia de experiências.
E quanto aos Lestrigões, quanto aos Ciclopes,
O irado Poséidon, não os temas,
Disso não verás nunca no caminho,
Se o teu pensar guardares alto, e uma nobre
Emoção tocar tua mente e corpo.
E nem os Lestrigões, nem os Ciclopes,
Nem o fero Poséidon hás­de ver,
Se dentro d'alma não os transportares,
Se não tos puser a alma à tua frente.

Faz votos por que seja longa a viagem.
As manhãs de verão que sejam muitas
Em que o prazer te invada e a alegria
Ao entrares em portos nunca vistos;
Hás­de parar nas lojas dos fenícios
Para mercar os mais belos artigos:
Ébano, corais, âmbar, madrepérolas,
E sensuais perfumes de todas as sortes,
E quanto houver de aromas deleitosos;
Vai a muitas cidades do Egipto
Aprender e aprender com os doutores.

Ítaca guarda sempre em tua mente.
Hás­de lá chegar, é o teu destino.
Mas a viagem, não a apresses nunca.
Melhor será que muitos anos dure
E que já velho aportes à tua ilha
Rico do que ganhaste no caminho
Não esperando de Ítaca riquezas.

Ítaca te deu essa bela viagem.
Sem ela não te punhas a caminho.
Não tem, porém, mais nada que te dar.

E se a fores achar pobre, não te enganou.
Tão sábio te tornaste, tão experiente,
Que percebes enfim que significam Ítacas.

Konstantínos Kaváfis, poeta grego – 1863



16 comentários:

Majo disse...

~
~ ~ Consta no «Google» que KK era gay.´

~ ~ Sendo assim, ele nunca poderia imaginar uma grande paixão
e a força que movia Ulisses no seu regresso.

~ ~ Uma metáfora interessante para jovens que nunca poderão
ser sequiosos da sua Penépole.
~ ~ ~

Ana Tapadas disse...

Estamos em sintonia, meu caro amigo! :)
Se passares no meu blogue, perceberás...

Fraterno abraço

Pata Negra disse...

também não tenho pressa nenhuma! e ás vezes nem sei se viajo para chegar a algum lado ou se parto apenas para ter saudade do que deixo.
um abraço viajante

jrd disse...

Somos mesmo siameses nas partilhas .
Um abraço fraterno.

luisa disse...

Que pena... Não sei porquê (algo se deve passar com o meu computador) mas não estou a conseguir ouvir o som do vídeo.

Quando à viagem... subscrevo: que seja longa. :)

Rogerio G. V. Pereira disse...

Ainda terei de mostrar isto às "minhas vizinhas". Uma merece e a outra carece.

(belo, isto!)

Andrea Liette disse...

Caro Herético,

É um poema que me comove profundamente, por sua dimensão espiritual !

Penso que poetas dessa grandeza ultrapassam gêneros e metáforas.

Agradecida. Um abraço.

© Piedade Araújo Sol disse...

...
gostei de ler, não conhecia nada dos poetas gregos.
beijo

:)

O Puma disse...

Poesia sem fronteiras

Abraço

Lídia Borges disse...


De quando as "Ítacas" perdem o encanto por acção do conhecimento, viagem sem retorno.

Faz todo o sentido hoje como ontem!

Lídia

CÉU disse...

Que estrondosa e inteligente metáfora, Konstantínos Kaváfis, usou neste poema, cujo sentido, é diametralmente oposto, ao que Homero apresentou na Odisseia.
Regressar, não, embora possam esperar estar à espera de "nós" muitas "Penélopes" e Joaquin(s) Cortez(es). É preciso continuar caminho, procurando a rota, que não a do ouro ou a das especiarias), mas, a nossa, a dos nossos sonhos, assexuados ou não.

Bom fim de semana, que já se aproxima.

Majo disse...

~
~ Quando li, pela primeira vez, esta metáfora, achei estranhíssima a total subverção da hstória de Ulisses e a anulação completa da figura de Penépole.

~ Pareceu-me imediatamente que se tratava de alguém com uma orientação sexual diferente da de Homero...

~ Foi fácil comprovar na «NET» que a minha intuição não me enganara.
~ ~ ~

heretico disse...

oh, oh Majo

e a menina a dar-lhe!...

e que dizes do senhor Yanis Varoufaquis? rsss

é o actual momento histórico da Grécia que me levou a evocar o poema...

tudo o mais, blá, blá, blá...

bem vinda sempre. beijo

Majo disse...

~
~ ~ Varoufakis é um homem inteligente e de grande bravura, não deve ser tratado como se de um santinho se tratasse!

~ ~ A Grécia que cultivava uma democracia de elites, também não deve ser entronizada, por enquanto.

~ ~ Abraço amigo. ~ ~

M. disse...

Gostei muito da escolha.

jorge esteves disse...

Não conhecia, mas gostei imenso.
E concordo inteiramente que importante é a viagem (a forma e o modo como); mais do que o destino.
Agradeço-te, amigo.

jorge