terça-feira, julho 21, 2015

O POETA NA PAISAGEM...


Nada.

Apenas o Poeta na paisagem
E a majestosa gralha
Cuidando as penas depois da chuva.
Breve...

E o caprichoso melro circular
Em voo trinado
Assediando a árvore
E o sol ligeiro.

(Por certo o beijo...)

Apenas o melro e a gralha...
No céu...

E o anjo negro cavalgando a nuvem.

Assim eu descendo na asa do milagre
Sem outra grandeza ou glória
Ou outro instante de lume...

Apenas
A repentina gralha
E o voo do pássaro
Ou a neutra rosa
Afadigando-se em ser...

Talvez apenas o Poeta
Tecendo as cores da árvore
Na gravura da paisagem...


Manuel Veiga – in “Poemas Cativos”

13 comentários:

Lídia Borges disse...


Que pássaros tão antipáticos! Quem lhes deu o direito de voar dentro de um poema?

Lídia

Jorge Castro (OrCa) disse...

Eis um dos meus preferidos, entre vários. Decerto, entretanto, apenas o poeta tecendo as cores da árvore na gravura da paisagem.
Abraço.

Majo disse...

~~~
~ ~ ~ Muito interessante, ó Poeta tecelão! ~ ~ ~
~~Bj~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

CÉU disse...

O melro e a gralha no céu, no céu das suas palavras, que me não cansam.

Parapeito disse...

Gostei, e fiquei a conhecer.
Brisas doces **

MARILENE disse...

Isso é pintar com maestria. Muito belo! Abraço.

Isabel Vieira disse...

Gostei poeta...Tecendo a poesia 😊

© Piedade Araújo Sol disse...

o poeta a deixar voar as palavras, tecidas e urdidas além dos voos livres...

grata!

beijos

:)

Suzete Brainer disse...

O poeta no movimento dos pássaros,
tecendo as cores na alquimia dos versos,
libertando os instantes da paisagem sem moldura...
Um poema grandioso e belíssimo!!
Fiquei encantada...
beijo.

deep disse...

Já conhecia-do livro que mora cá em casa-,mas é sempre bom reler. Belo.

Bom domingo. :)

Agostinho disse...

Ao poeta tudo é permitido, até mergulhar nas nuvens. A gralha, o melro, a árvore e, no meio do milagre, uma rosa, vermelha sempre, de certo afogueada, afadigada. Quando calha.

Carmem Grinheiro disse...

O poeta na paisagem deixa-se voar. Deixa-se levar nas asas da gralha ou no dorso do melro. Voa e sonha, o poeta.
abç amg

jrd disse...

E poderá haver paisagem sem poeta meu Amigo'

Abraço fraterno