segunda-feira, fevereiro 22, 2016

"LADRÕES DE BICICLETAS" - Serralves



"Pensava que os exércitos de operárias e operários pobres e explorados que contribuíram para a acumulação primitiva do capital industrial têxtil que pagou a folia e o requinte de Serralves estavam finalmente justiçados com a abertura do jardim e do museu à res publica. Engano. O Estado e os tios e tias dos fundadores da fundação mais as suas empresas e piedosas obras de mecenato e outras manobras de distinção e tudo que lhes dá um verniz de arte contemporânea e de empenhamento social decidiram apoiar esta decisão inteligente e oportuna num tempo em que a entrada grátis ao domingo de manhã era mais que justificável (...)

ver texto completo

5 comentários:

Graça Pires disse...

Um texto muito pertinente. Cada vez mais se vai vulgarizando essa coisa de certa arte só ser para certa "elite", seja isso o que for. Aqueles que ajudaram a construir tanta coisa boa neste país cada vez vão ficando mais esquecidos. E quem quer lembrá-los? Revolta, não é?
Um beijo, meu Amigo Manuel.

Laura Santos disse...

Ah a populaça para as "elites" não conta nada, e os bens culturais geralmente devem ficar numa "redoma" para as mentes peregrinas que supostamente os entendem! Nada de novo aqui.
xx

Majo disse...

~~~
Um destaque pertinente e justo.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~ Excelente semana, Manuel. ~
~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~

luisa disse...

Nunca fui a Serralves. Mas hei de ir e, assim sendo, tanto faz o dia que escolha para o fazer.
:)

ॐ Shirley ॐ disse...

Certamente você está com a razão...
Beijos, Manuel!