quinta-feira, maio 05, 2016

"FECUNDAS SÃO AS RAÍZES"



Fecundas serão as raízes no coração dos homens
Onde a delicada flor se incendeia
E as bocas ardem na busca milenar
Dos dias solares...

Então as espadas serão apenas ondulantes flâmulas
No olhar festivo das crianças.

E a justiça o gesto puro de colhê-la.

Antes porém será o cântico da terra revolvido.
E o sangue e a raiva.
E mil abris desfeitos.

E os ventres inflamados da fome.

E o grito das flores decepadas pelo caule
E os dias ardidos.
E o voo quebrado das asas.

E todas as estradas de Damasco
E a aridez dos desertos.

A vertigem dos sons virá, porém, atroar os ares
Como trombetas percursoras da grande catástrofe
Onde se desempenhem os deuses e heróis.
E a luz e as trevas.

E o negrume e sedes de agora.

E toda a História será vã.
E todos os símbolos.

Fecundas serão nesse lance as raízes.
E a Pátria dos homens e o ardente coração
Das trevas. Resgatadas.


Manuel Veiga
"Do Esplendor das Coisas Possíveis"
pág.58 - Poética Edições
Lisboa - Abril 2016


9 comentários:

Mar Arável disse...

Um excelente espaço para o teu excelente livro

Abraço fraterno

jrd disse...

Resgatar das trevas o esplendor das coisas possíveis.

Um abraço meu irmão poeta

Suzete Brainer disse...

Fecundas as raízes da tua poética que brilha,toca e encanta.
Vinda da tua memória inscrita na mais pura e bela Poesia!...

Meus votos de sucesso para este dia e vejo que será num local
especial de raízes políticas (cravos vermelhos...rss).

Jaime Portela disse...

Gostava de estar presente na sessão de apresentação do teu livro, mas é quase impossível. Em qualquer caso, desejo-te os maiores sucessos para este teu livro.
O poema, como sempre, é excelente. Parabéns.
Bom fim de semana, caro amigo Veiga.
Abraço.

MARILENE disse...

E uma pena que o resgate custe preços tão altos. Mas ainda assim mantemos a esperança de que sejam realmente fecundas as raízes. Estou certa de que 13 de maio lhe proporcionará grandes alegrias. Sucesso!! Abraço.

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Herético.
Fecundas as raízes e fecunda a poesia.
Desejo-lhe o sucesso merecido.

abç amg

AC disse...

Lá fundo, lá bem no fundo, há um território sagrado onde se fermentam as raízes da justiça...
(A crença e a convicção não desfalecem. Ainda bem)

Abraço

Agostinho disse...

Descansa, Poeta, as raízes foram ao fundo dos corações.
Não são as ervas daninhas na sua pressa de afogadilho que abalam a razão.
Boa sorte, rumo ao norte.
Abraço.

José Carlos Sant Anna disse...

Este é o imperceptível rumor de sementes germinando para que surjam as fecundas raízes... E tempo de vigilância na esteira do porvir!
Abr., meu caro poeta!