quarta-feira, julho 12, 2017

PERFUME DE UM TEMPO BREVE



Para os meus amigos

Teresa Almeida Subtil
Fernando Subtil

Cálida a tarde assim tecida
Seda e linho.

Urdidura de gestos delicados
A soletrar a margem do rio lá ao fundo
Mero reflexo debruado
De um rio-outro
A derramar-se
Por dentro

Amável percurso das palavras
Fios de prata e lume
Em que dizemos
O tempo e o modo
Da vertigem.

E em que colhemos
A urgência da Hora.

E na brisa apressada soletramos
E perfume de um tempo breve
E celebramos o dom raro da amizade
A desprender-se fecundo
Em serena dádiva
Da Vida.

Manuel Veiga








Sem comentários: