quinta-feira, janeiro 16, 2020

Excessiva Letra ...


Inscreve-se o nome
Na excessiva letra
Intrometida
Como uma gota
Tonta...

Ou uma nota perdida
Na voz quebrada
Da guitarra

Ou a cadência
Da absoluta
Entrega …


Manuel Veiga



14 comentários:

Majo Dutra disse...

Por vezes, toda a palavra ou som vibram a mais...
A profunda emoção vive-se em completo silêncio.

Belo, Amigo.

Beijos
~~~

" R y k @ r d o " disse...

Maravilhoso
.
Abraço

MS disse...

Wow! Que maravilhoso 'blues'!! Deliciosa audição! Fica-se por aqui...

Talvez mais "...a cadência/ Da absoluta/ Entrega..."

Quanto ao teu livro, vou folhear na Fnac um destes dias :-)

Bom Ano 2020 !

beijo

José Carlos Sant Anna disse...

A salvo da armadilha, a “gota tonta”, (apesar de), sacia a sede para que sintamos o poema “na cadência absoluta da entrega...”
Um forte abraço, caro Manuel!

Teresa Almeida disse...

Excessivo é sempre o tempo que demoro a chegar. É que preciosidades literárias não se podem perder.

Um beijo, meu amigo Manuel Veiga.

Boop disse...

O nome...
O que torna um beijo(/toque/entrega) diferente de outro é aquilo que um nome encerra . a identidade do outro.
E por isso.
Que boas são as discrepâncias, e os ditongos, e os desconcertos, porque é nelas que saímos de nós e nos encontramos com o outro. Nesse intrometimento no nosso pouso confortavel do conhecido.

Megy Maia disse...

As cordas da guitarra envolvem - nos em sonhos perfeitos.
E eu deixo - me levar. Somente levar.

Ana Tapadas disse...

Beleza em estado puro, este teu poema!

Bjs

Graça Pires disse...

É "a cadência da absoluta entrega" que dá fascínio às palavras que escreves…
Uma boa semana, meu Amigo.
Um beijo.

Tais Luso de Carvalho disse...

"Ou uma nota perdida
Na voz quebrada
Da guitarra"

Meu amigo Manuel, letra, sons, ideias ou gestos excessivos... jamais imaginei, mas aqui aconteceu uma poética maravilhosa!

Bela sua construção sem nenhum excesso, tudo na medida certa, numa cadência gostosa de ler como aqui sempre faço.


Beijo, uma linda semana pra você!

Maria João Brito de Sousa disse...

Belíssimos acordes, Manuel. E refiro-me ao poema, claro está.

Abraço

Luísa Fernandes disse...

Olá caro amigo!
Um belíssimo poema, que não deixa ninguém indiferente.
Gostei imensamente.
Um abraço de paz e bem.
Luisa

Olinda Melo disse...


Bom dia, Caro Manuel Veiga

Aqui, a grandeza da absoluta entrega conformada
nas letras já existentes. Excessivas? Talvez não.
No dedilhar de uma guitarra o Poeta, na sua exigência,
procura complemento para mensagem poética tão bela.

Mas para nós, leitores, tudo está completo, emotivo
e perfeito. E o nome adivinhamo-lo, cada um de nós,
de conformidade com as próprias emoções.

Abraço, meu amigo.

Olinda

Ana Freire disse...

Sendo a música também uma forma de expressão... haverá momentos, em que realmente não carece de palavras... que se digam... mas que se ouçam...
Mais uma cadência poética de excelência... com todos os acordes, sempre muito bem afinados, por aqui... e muito bem acompanhada, com esta escolha musical... Blues... no seu melhor... para exemplificar uma entrega perfeita...
Beijinho
Ana

UM BREVE ESBOÇO...

  Na gaveta das minhas horas peregrinas Busco algum fervor cálido. E íntimo. E um pouco de alquimia Ainda… E deparo com um breve...