domingo, maio 02, 2021

"COMO SE FORAS INVENÇÃO MINHA..."

 




As palavras, meu amor 
São apenas insónia 
Um rumor mudo
E a flor selvagem 
Com que enfeito 
Teus cabelos


Para além delas
E das suas cinzas
Existe uma chama outra 
E esta coisa estranha
De saber-te
Como se foras
Invenção minha

Manuel Veiga

COREOGAFIA DOS SENTIDOS
Edição Modocromia
No Prelo


4 comentários:

Teresa Almeida disse...

Uma capa muito apelativa.
E o conteúdo deve prender e suspender o leitor a cada passo, a cada página.
Este poema é uma bela apresentação.

Parabéns, meu amigo. Não vejo a hora de poder desfrutar da leitura. Vou adorar folheá-lo devagarinho.

Olinda Melo disse...

O Poeta aqui num dos seus momentos mais belos.

Um Poema de amor, uma idealização, uma Invenção,
por certo, perfeita.

Sente-se a magia dessas Palavras e a emoção
que elas nos transmitem.

Congratulo-me, amigo Manuel Veiga, com a edição
de mais um Livro de Poemas da sua autoria.

Estarei atenta de modo a poder ser das primeiras
pessoas a lê-lo. :)

Grande abraço
Olinda

José Carlos Sant Anna disse...

Caro Manuel,

O que dizer-lhe? Aguardo que se soltem as amarras. Por enquanto,
Melodioso poema nos dá a conhecer o poeta do que foi capaz de fazer na coreografia em porcelana e marfim dos sentidos ao remexer o caldo fundo das palavras.
Um abraço, caro poeta!

Tais Luso disse...

Manuel, meu amigo, que lindo, mais um belíssimo livro, então é esse que você tinha falado, capa bonita, COREOGRAFIA DOS SENTIDOS.
Congratulo-me com mais uma de suas belas criações.
Muito sucesso, amigo!
Esse poema, "Como se foras invenção minha..." é maravilhoso!
Um bom fim de semana!
Saúde!
Beijo

PERFUME DE "ROSA-MUNDO"

Derramo meus poemas em gesto largo De quem semeia. Modesto destino o de nascer entre ervas Daninhas. Porém, outras palavras-poema traz...