quarta-feira, junho 01, 2022

JOGO DE DADOS


 

Uma linha recta

Uma superfície lisa

E um ponto neutro.

 

Em cada extremo

As perdas e os danos´

De meu balanço.

 

E ganhos?

 

Invejosos os deuses

Cedo os levaram

Num jogo de dados.

 

Manuel Veiga

 


11 comentários:

- R y k @ r d o - disse...

Poema intenso, profundo, poderoso
.
Cumprimentos cordiais … um dia feliz
.
Pensamentos e Devaneios Poéticos
.

Elvira Carvalho disse...

Gostei de ler.
(Ainda não recebi o seu livro)
Abraço e saúde

Maria João Brito de Sousa disse...

Um abraço, Manuel! :)

Ailime disse...

Boa tarde Manuel,
Um poema muito belo e profundo!
Sempre um prazer ler a sua excelente poesia!
Beijinhos,
Ailime

lis disse...

Na vida e no amor há 'perdas e ganhos'
_ é jogar os dados e a cada partida
uma superação, uma emoção.
Um bonito poema, mVeiga ,que os deuses
nos ajudem a escapar do xeque-mate.rs
meu abraço

Fatyma Silva disse...

Olá, Manuel!
Lindo e intenso poema, amei!
Obrigada pela partilha!

Um abraço.

Juvenal Nunes disse...

Nada podemos perante o imponderável.
Abraço amigo.
Juvenal Nunes

Olinda Melo disse...


Belo poema, Manuel Veiga.
Os deuses por vezes trocam-nos as voltas.
Bom fim de semana.
Olinda

São disse...

Os jogos de azar, mais do que sorte, sempre nos levam tudo...

Abraço, bom fim de semana

Tais Luso de Carvalho disse...

Gostei muito, Manuel, mas assim é a vida, dá aqui, e tira ali!!!
Mas acostumei a ficar quietinha, vá lá que os deuses, nesses "ganhos e perdas", resolvem tirar mais do que dão?
Já estou satisfeita!! rsss
Adorei.
Uma boa semana, meu amigo,
beijo.

Janita disse...

E pronto!! Foi desta vez que li e reli um poema e fico de boca aberta sem saber o que dizer. Gosto de jogos de tabuleiro, mas este parece-me ser um jogo indecifrável..:))

Um abraço, Poeta, bom fim de semana.

ADÁGIO

Desnudam-se as pétalas Uma a uma. E derrama-se a cor Nua. Indefinição ainda Que alastra   Agora sinfónica. Cor e vida. E se ab...