domingo, setembro 25, 2022

RAIO DE MINERVA

 

como um raio da faiscante Minerva

vestes tuas asas de poeta

deslumbrante seguem-te milhares

solicitando teus favores.

compreendo-te – mas não eu !

que sou poeta da humana condição

 

e teus versos

espinhos

de uma rosa desbotada

que o Outono teima em entardecer…

 

Manuel Veiga

25-09.22

 


9 comentários:

- R y k @ r d o - disse...

Intenso, profundo, poderoso, fascinante de ler
.
Um domingo feliz … cumprimentos
.
Pensamentos e Devaneios Poéticos
.

Rogério G.V. Pereira disse...

Há rosas, assim
resistentes
Ainda bem que as canta...

Jaime Portela disse...

Um poema brilhante.
Onde cada palavra tem o peso e a medida certas.
Boa semana, caro Veiga.
Um abraço.

Graça Pires disse...

És poeta da humana condição. E é a condição humana que te permite escrever poesia maravilhosa, que eu admiro e sei sentir.
Uma boa semana com muita saúde, meu Amigo.
Um beijo.

São disse...

Orgulho-me de ser amiga de um Poeta da humana condição.

Abraço

Maria Rodrigues disse...

São os poetas de humana condição, que conseguem tocar o coração de quem os lê.
Um poema sublime.
Abraços

Ailime disse...

Boa tarde Poeta,
Um poema magnífico, como só o Manuel tem a nobre arte de esculpir tão bela poesia.
Beijinhos e continuação de boa semana.
Ailime

Emília Pinto disse...

Gostei que tivesses voltado à tua narrativa sobre uns tempos conturbados vividos no nosso Portugal e não só,Em ditaduras espalhadas pelo mundo a condição humana era tida como " escumalha " por aqueles ue se achavam seus donos só por terem dinheiro e muitas terras. Infelizmente, apesar de vivermos em democracia continua a haver exploração, trabalho escravo e gente humilde tendo que se ajoelhar perante os senhores do mundo para terem um prato de comida.. valha-nos os poetas e tantos outros seres de grande humanidade para, com a sua poesia e a sua preocupação social amainar o desalento de tantos que não vêem respeitados os seus direitos. Teremos todos que ser um deles, mesmo que não saibamos sequer compor uma quadra. Obrigada, Amigo, pelo qualidade dos teus posts, sempre enriquecedores. Um beijinho e saúde!
Emilia

Tais Luso de Carvalho disse...

Quando o poeta é sensível; quando o poeta escreve com beleza;
quando o poeta é de humana condição...
Então está tudo pronto, nada mais precisa, é só seguir a vida e presentear teus amigos e leitores com tudo que escreves!
Também faço das palavras da querida São, as minhas!
Um feliz fim de semana, meu amigo Manuel Veiga!
Beijo.

Imperfeições

o  amor é uma linha recta. infinita no Espaço-Tempo onde se jogam todas as formas imperfeita…   ligeirissima curva, porém pertub...