quinta-feira, setembro 28, 2023

AMANTISSIMA A NOITE


Amantíssima a noite e seus longos dedos

A urdir o espaço e o tempo na urgência dos corpos

Gramática de um canto novo. E da secreta língua

A arder no palato das palavras

Em que nos dizemos...

 

Fermentação de mostos

A transbordar. E a inundar os corpos

E a colher o gosto..

............................................

Já não poeta. Poema

Apenas.

 

Manuel Veiga

5 comentários:

" R y k @ r d o " disse...

Lindo de ler.
.
Feliz fim de semana.
.
Pensamentos e devaneios poéticos
.

Maria João Brito de Sousa disse...

Esplêndido, este Amantíssima, a Noite

Um abraço, Manuel!

Olinda Melo disse...

O poema toma conta das palavras e o Poeta executa-as no silêncio da secretíssima noite.
Bela construção poética, Manuel Veiga.
Abraço
Olinda

lis disse...

Que seja doce ...
boa noite, mVeiga

Teresa Almeida disse...


E o poema deu-se à noite e aos leitores.
Grata pela belíssima partilha.

Beijo.

Precários Meus Gestos

Assento meus passos nas raízes Que talham meu porte E prossigo   Minha sede É murmúrio das nascentes E calor de solstícios  ...