terça-feira, setembro 20, 2016

EM LOUVOR DE LYDIA (Três)


Sentemo-nos, Lydia, e deixemos que a vida passe
E com ela os enganos.

Coroemo-nos de flores efémeras
E precários ócios. E das cores de Outono
Recolhamos as amoras como se o Verão
Fora eterno.

Beijemo-nos, Lydia. Sejamos magnânimos .
E afastemos com distraída mão
Vinganças vãs. E pensamentos
Duros. 

E assim apaziguados, abjuremos os barcos
E deslizemos – pagãos e puros –
Na mansidão do rio.

Manuel Veiga
 
Nota
Lydia é uma criação literária de Ricardo Reis

 

7 comentários:

Graça Pires disse...

Lydia. Para ela os verões são sempre eternos. Ela te levará pela mansidão do rio para que "pagãos e puros" possam desafiar a lua até que a madrugada vos aquiete...
Gosto destes teu poemas em louvor de Lydia.
Um beijo, meu Amigo.

Suzete Brainer disse...

Esta louvação ao mito (se tratando de criação literária)
Lydia é belíssimo.
Um sentir poético pleno de corpo e alma; o outono e
o verão, fantasia e realidade, o efêmero e o eterno
"na mansidão do rio" vida!...

O poeta Manuel Veiga e o poeta Ricardo Reis (Pessoa)
com a louvação à Lydia, numa expressão poética com
um sentir que nos abraça, no afeto sublime, amigo!

Apreciei muito!!
beijo.

Tais Luso disse...

"Sentemo-nos, Lydia, e deixemos que a vida passe
E com ela os enganos.

Coroemo-nos de flores efémeras
E precários ócios. E das cores de Outono
Recolhamos as amoras como se o Verão
Fora eterno."
_______________

Tanta verdade nesse poema, meu amigo Manuel, tantas coisas que precisamos colocar no lugar certo! Na verdade poucas são as coisas relevantes na vida.
Beijo, amigo.

* Li os outros,também, e gostei muito!

Fê blue bird disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Odete Ferreira disse...

Soube-me tão bem ler este(s) poema(s)!
Também fiquei apaziguada * com a sua leitura!
(* gosto muito deste vocábulo, uso e abuso; era um dos que me servia de mote para que os alunos, mesmo desconhecendo o significado de determinada palavra, encontrando a palavra primitiva, neste caso paz, fizessem logo uma ideia do sentido da palavra em causa).
Parabéns, Manuel!!!
BJO :)

Pedro Luso disse...


Caro Manoel, excelente poema o seu “Em louvor de Lydia (três)”.
Um poema muito agradável para se ler mais de uma vez (foi o que fiz).
Parabéns, amigo.
Um abraço.
Pedro.


graça Alves disse...

Um vocabulário "Ricardiano" que denota conhecimento de causa para este belíssimo poema!
bj