sexta-feira, maio 18, 2018

"Do AMOR e Da GUERRA - Fragmentos"...


 “O autor não existe. É um ponto neutro, uma emergência ou, porventura, um cruzamento de possibilidades por onde perpassam os filamentos de uma trama, que não sabe bem como encenar-se. Nem muito menos é um manipulador que, por detrás do pano, se esconda e, na obscuridade do proscénio, desenhe os lances da dramatologia em que se joga a contragosto, pois que, se autor fora, assumiria o registo linear da forma e da escrita, como redenção ou glória. E, então, porventura, obra seria – sabe-se lá se poema, se novela…

Nem o tempo, nem o espaço existem, devorados naquela noite de relâmpagos e medos, os corpos em chaga e lama e o dilúvio tropical despenhando as atrocidades da guerra num buraco negro, de que não há refúgio. O absoluto Nada (tangível) no arrepio da alma transida e a tempestade soberba, fazendo da metralha um bailado mortífero, fantasmagórico, replicando fogos-de-artifício perdidos, que, como bálsamo, emergem da noite, miasmas da memória em chama, atiçados no nó em que os corpos se enrolam, sem outra saída que não seja o desesperado desejo de diluir-se na noite ou fundir-se na água.

Então a fuga redentora, inconsciente, provinda do fundo do medo, físico e viscoso, para os dias primaveris da infância e o cálido regaço materno, como quem ajusta contas, em desespero, no deve e haver da vida. E na agitação febril, sobre os gritos, os trovões e o metralhar das armas, o incêndio do sonho ganha então asas e entretece um murmúrio de luz inesperada no olhar do menino perdido, elevando-se na noite negra…”
 (…)

Manuel Veiga
“Do AMOR e Da GUERRA – Fragmentos”



"SEJA BEM VINDO QUEM VIER POR BEM" !...



9 comentários:

Larissa Santos disse...

Como sempre, maravilhoso texto. Adorei. :))

Hoje:- Onde há vontade há um caminho.

Bjos
Votos de uma óptima Noite

José Carlos Sant Anna disse...

Caro amigo Manuel,

Eu iria por bem porque o aperitivo revelado é por si só uma intimação afetiva movida pelo brilho da linguagem. Depois iria liberar a ânsia louca de ler... mas a distância...
Parabéns mais vez e desejo-lhe muito sucesso

Um forte abraço,

manuela barroso disse...

A emoção para lá do abismo que somos !
Belo , querido amigo
Beijo !

Gil António disse...

Depois de me deliciar com mais uma sedutora publicação, deixo votos de um feliz fim de semana.
.
* Amor feito de pura verdade *

Suzete Brainer disse...

Belíssimo este trecho do teu livro de arte literária
original e irrecusável, que tu partilhas, amigo.

Reforçando os meus votos de muito sucesso, felicidades
e momento especial de partilha literária neste dia.
Será um grande sucesso, caro amigo Manuel.

beijo.

Teresa Almeida disse...

Considero a tua escrita um desafio permanente, na medida em que te jogas e deixas o texto fluir. E assim: "O autor não existe."
Pura arte, meu amigo!

Mais um abraço de parabéns, Manuel.
Votos de muito sucesso.

Larissa Santos disse...

Bom dia. Muito bom texto!


Hoje:- [ Poetizando e Encantado]-Conto as pétalas, e almejo a tua graça .

Bjos
Votos de uma óptima Segunda- Feira

Graça Pires disse...

Tenho a certeza que vou gostar de ler o teu livro. Espero mesmo poder estar no teu lançamento.
Uma boa semana, meu Amigo.
Um beijo.

Tais Luso de Carvalho disse...

"Então a fuga redentora, inconsciente, provinda do fundo do medo, físico e viscoso, para os dias primaveris da infância e o cálido regaço materno, como quem ajusta contas, em desespero, no deve e haver da vida."

Que bonito, Manuel! Está chegando o 'Dia' dos aplausos, da realização pessoal, dos amigos te abraçarem. E logicamente do sucesso que é o desejo de todos nós.

Beijo, uma ótima semana!

UM BREVE ESBOÇO...

  Na gaveta das minhas horas peregrinas Busco algum fervor cálido. E íntimo. E um pouco de alquimia Ainda… E deparo com um breve...