quarta-feira, julho 03, 2019

AMANHECEM POTROS...


(Amável cresce a forma
E o gesto dúctil
De colhê-la…)

Acendem-se brisas
Amanhecem potros.
E o declive dos seios
E a geometria
Reclinada
Das coxas.

Grutas. Abruptas. Macias.
Veredas líquidas.

Crepitam os corpos.
E o cio inaugural
Dos dias.


Manuel Veiga




Sem comentários:

UM BREVE ESBOÇO...

  Na gaveta das minhas horas peregrinas Busco algum fervor cálido. E íntimo. E um pouco de alquimia Ainda… E deparo com um breve...