quinta-feira, fevereiro 06, 2020

OUTRA GLÓRIA BUSCA O FOGO


Um dia talvez germinem rosas
E as palavras sejam. Aquelas que o momento
Requer. E de tão puras se desfolhem
Pelas ruas.

E sejam eco.
E cristal

Tombado agora sobre a mesa
E o vinho azedo.

Marginal a vida
Que outra glória busca o fogo.
Mais que arder
Alimentar
O cântico

E o sinal de todas
As passagens …

Manuel Veiga


 

8 comentários:

José Carlos Sant Anna disse...

E a salvo das armadilhas das palavras, a sede estará saciada e o poema palpitando no asfalto...
Um abraço, meu caro poeta!

Teresa Almeida disse...

O teu brilho é cada vez maior.

É um grande privilégio ler-te.

Um enorme abraço de parabéns, caro amigo Manuel.

Tais Luso de Carvalho disse...

Que lindo, quanta sensibilidade nesses versos!

"Um dia talvez germinem rosas
E as palavras sejam. Aquelas que o momento
Requer. E de tão puras se desfolhem
Pelas ruas."

Beijo, Manuel, parabéns sempre!
Um bom fim de semana.

Jaime Portela disse...

As palavras podem ser o oxigénio que alimenta o fogo do verso.
Como é o caso, neste poema de excelência.
Caro Veiga, um bom fim de semana.
Abraço.

Ailime disse...

Bom dia Manuel,
Brilhante o seu cântico poético.
E que germinem muitas rosas.
Um beijinho.
Ailime

Marta Vinhais disse...

Talvez.... mas acho que as palavras são tudo...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

lis disse...

'alimentar o cântico'
_e que venham as rosas!

Ana Freire disse...

Um verdadeiro mar de emoções... muitíssimo bem complementado com a Estrela do Mar de Palma!... Um dueto perfeito, por aqui, Manuel!
Beijinho
Ana

UM BREVE ESBOÇO...

  Na gaveta das minhas horas peregrinas Busco algum fervor cálido. E íntimo. E um pouco de alquimia Ainda… E deparo com um breve...