domingo, agosto 14, 2022

ADÁGIO


Desnudam-se as pétalas

Uma a uma. E derrama-se a cor

Nua. Indefinição ainda

Que alastra

 

Agora sinfónica. Cor e vida.

E se abre. Esplêndida

A corola.

 

Murmúrio de sol

A bordejar

O néctar

 

E a erguer-se

Flor. E poema

Alvoroçado

 

Manuel Veiga

Coreografia dos Sentidos

Edição MODOCROMIA - 2022

 

4 comentários:

maceta disse...

quase como uma metamorfose...

abraço

- R y k @ r d o - disse...

Mais um poema brilhante que me encantou ler.
.
Abraço poético
.
Pensamentos e Devaneios Poéticos
.

Janita disse...

Adágio, sim, mas especial e único.

Abraços!

Tais Luso de Carvalho disse...

Mais um poema de classe - ADÁGIO - que leio aqui no amigo Manuel Veiga!
Aplausos sempre, meu amigo Poeta!!
Um bom fim de semana,
um beijo.

ABSOLUTA PALAVRA

  A Hora é esta. Assim Escassa. A morder a orla Do sonho   Sacral e mítica…   A anunciar-se Líquida. Sede e água A trans...