quarta-feira, abril 03, 2024

Orquestração de Hinos

 

Polpa dos lábios.

E a interdita palavra

Freme…

E se acolhe

Em fervor mudo

E sílaba-a-sílaba

Se inaugura…

Percurso

De euforias.

Plenas  

Já não lábios

Harmonia de salivas

A urdir por dentro

A tempestade

Dos corpos …

E a dulcíssima

Orquestração

Dos hinos…

 

Manuel Veiga


4 comentários:

" R y k @ r d o " disse...

Divinal inspiração poética. Parabéns. Cumprimentos poéticos

lis disse...

... e o maestro !
Inconfundível.

Olinda Melo disse...


Uma orquestração perfeita pelo talento do nosso poeta,
que canta o amor e a sua concretização de forma subtil
e encantadora.
E eu gosto muito da sua escrita, Manuel Veiga.
Um grande abraço.
Olinda

Tais Luso de Carvalho disse...

Ah, saudades de vir aqui ler a bela poesia
do meu amigo Manuel!!
Muito bela a "Orquestração de Hinos"!
Que bom que está escrevendo, amigo...
Desejo uma feliz semana, muita paz e saúde!
Um beijo, meu amigo!
Aplaudo sempre!

NA ORLA DOS LÁBIOS...

  O poema desenha-se na orla dos lábios Na íntima tensão do verbo antes de explodir Itinerário de sombra rente à luz   Ou murmúrio...